Acabou neste momento a assembleia geral dos Policiais Civis de Pernambuco, convocada pela diretoria do Sinpol para apresentar a postura assumida pelo governo diante dos pleitos apresentados pelo sindicato na negociação salarial deste ano.

Na última terça-feira (29), uma comitiva do Sinpol foi recebida pelo governo do Estado dando continuidade as tratativas que já vinham sendo feitas em torno da correção salarial devida a todos os Policiais Civis de Pernambuco desde 2010, quando tiveram a carga horária aumentada em 33% sem a devida compensação salarial. Além disso, pautas como lei orgânica e carreira única também foram objeto de discussão.

Totalmente desconectada da realidade, a postura do governo pareceu não levar em conta a esmagadora vitória alcançada pela categoria em recentemente julgamento no TJPE. Por unanimidade, os desembargadores decidiram que não havia prescrição das ações da carga horária, abrindo espaço para análise do mérito. Vale ressaltar, que já existem várias decisões, inclusive no supremo, dando ganho de causa a colegas.

Mesmo assim, mais uma vez o governo alegou não ter dinheiro para reajustes e nem mesmo para a correção dessa injusta distorção – o que é um absurdo, pois vem alardeando que o Estado tem obtido superávit nas contas.

Diante desse cenário, os Policiais Civis de Pernambuco decidiram realizar o “novembro de mobilizações”, quando percorrerão Delegacias e Institutos de Polícia, além de dialogar com a população sobre a realidade da Polícia Civil de Pernambuco. A categoria também deliberou pela realização de uma grande passeata, no próximo dia 20, quando será formalizada a entrega do PJES já no mês de dezembro.

Deixe seu comentário