Lamentavelmente, enquanto o Governador Paulo Câmara vem massacrando Policiais Civis e tantos outros servidores públicos do Estado – negando-se ao diálogo e ameaçando as aposentadorias desses trabalhadores e trabalhadoras – só neste mês de novembro, o mesmo Governador já liberou mais de R$ 70 milhões que foram retirados da Secretaria de Defesa Social e destinados ao Tribunal de Justiça e ao Ministério Público estadual para despesas com pessoal.

O mais irônico da situação é que os vultuosos repasses estão sendo feitos justamente no mesmo período em que os Policiais Civis de Pernambuco estão pedindo a correção de uma injustiça que o Estado pratica contra eles desde 2010, quando houve um aumento de 33% na carga horária da categoria sem um reajuste salarial correspondente. A resposta do Governo em todas as rodadas de negociações? “Não há dinheiro”.

A verdade é que o caso é muito mais do que irônico, já que há uma ação judicial coletiva impetrada pelo Sinpol em nome de todos os Policiais Civis de Pernambuco pedindo que os salários da categoria sejam corrigidos. Além disso, o que reforça a estranheza da situação é que se em tempos de economia forte já não é papel do Poder Executivo realizar esse tipo de repasse para o Poder Judiciário, imaginem em tempos de uma “profunda crise”?

Contudo, vale salientar que independentemente das ações ou intenções do Governador, reafirmamos a nossa mais profunda confiança no judiciário pernambucano, o qual, inclusive, concedeu recentemente uma unânime e importante vitória para os Policiais Civis com relação a suposta prescrição do caso defendida pelo Estado.

 

Deixe seu comentário