As mobilizações promovidas pelo SINPOL desde o final do ano passado, visando buscar o reconhecimento e a valorização dos profissionais que compõe o quadro da Polícia Civil de Pernambuco, tem despertado o interesse da população, uma vez que expusemos as deficiências e precariedades da instituição, apontando que a culpa por não atendermos melhor o cidadão não é do Policial.

Como se já não bastassem as perseguições ao Presidente e o Vice do SINPOL, na tentativa de criminalizar a legítima defesa dos Policiais Civis, o Governo do Estado, através da Chefia de Polícia e da Secretaria de Defesa Social, faz um levantamento sobre a participação dos policiais nas paralisações, cobrando uma relação daqueles que aderiram ao movimento ocorrido entre 10 e 11 deste mês.

Os policiais vivem à mercê do descaso, expostos a todo tipo de insalubridade dentro dos locais de trabalho, são pressionados a cumprirem tarefas sem que se lhes deem condições, não possuem equipamentos de proteção individual, trabalham além da carga horária que devem cumprir e possuem um dos piores salários de Polícia Judiciária do país e o Governo faz pouco caso para solucionar tais mazelas. No momento em que todos conjuntamente expuseram suas insatisfações e a ausência de meios e salário que possibilitem o bom andamento do serviço prestado à população, o Governo do Estado procura acuar a categoria com ameaça de retaliações.

O SINPOL reitera o que tem afirmado inúmeras vezes: NINGUÉM ESTARÁ SÓ! Não recuaremos na defesa dos direitos DE TODOS OS POLICIAIS CIVIS, onde quer que exerçam suas atividades. Seguiremos unidos em busca de nossa valorização, reconhecimento profissional e melhores condições para atender bem o povo pernambucano.

O SINPOL acompanhará de perto todo o desdobramento de tal atitude e orienta que, quando questionados sobre a participação nas paralisações e nas reivindicações, sejam colocados os nomes de todos os Policiais da unidade, delegacia, departamento, gerência ou instituto, respondendo que se fizeram presentes, portanto, não faltaram ao trabalho, mas, que seguiram a deliberação da própria categoria e do SINPOL, informando que TODOS PARTICIPARAM E ESTÃO UNIDOS EM BUSCA DE MELHORIAS E VALORIZAÇÃO.

Discussão1 Comentário

  1. A união massiva de todos da Categoria policial civil, indistintamente do cargo ou função que ocupe em torno das propostas contida na Pauta de reivindicação dar ao Comando de greve legitimidade, poder e controle na hora de
    requerer, e negociar cada ponto para trazer maiores benefícios não só para a classe, como o todo, más para o povo de Pernambuco que já não suporta tanta violência, descaso, inconsequências e injustiças apesar da existência do programa de Governo Pacto pela vida de PE.

Deixe seu comentário