Jurídico do Sinpol alerta aposentados sobre riscos de portar armas sem registro

Uma abordagem violenta realizada por policias militares despreparados terminou com detenção de um policial civil aposentado e seu filho, na noite do último domingo (18), em Brasília Teimosa. O policial civil aposentado estava num bar na orla de Brasília Teimosa, após um domingo de pescaria com o filho, quando dez viaturas da Polícia Militar, inclusive do GATI, estacionaram nas mediações e começaram as revistas de forma violenta e desmedida os locais.
Após ter sido tratado com grosseria e descaso, mesmo tendo se identificado como comissário aposentado, o policial civil aposentado presenciou uma ação truculenta da PM, que agredia covardemente um cidadão sentado em outro bar.
O policial civil pediu para o seu filho filmar o ocorrido e despertou a ira dos PMs. Ao perceber que estavam sendo filmados, tomaram o aparelho celular do filho do comissário e o colocaram no xadrez da viatura sob murros e pontapés.  Ao perceber a agressão, o policial aposentado foi intervir para que parassem com a violência e acabou também sendo detido.
O policial e seu filho foram levados ao plantão da 2ª Delegacia de Boa Viagem sob acusações infundadas. O rapaz, por desacato e o comissário aposentado, por posse ilegal de arma, apesar de sua arma estar no seu veículo onde também se encontrava o devido registro.
O advogado do Sinpol, Rafael Araújo, foi enviado ao local para prestar assistência ao policial aposentado e enfrentou todo o despreparo e arbitrariedade dos policiais militares que, inclusive, negavam-se a ser ouvidos, alegando que não existia ouvida em TCO. A ocorrência só terminou às 4h da madrugada com a arma e o celular devolvidos e a liberação do policial por estar com a posse e o devido registro da sua arma.
“Esse fato é um alerta para que o policial aposentado que pretenda manter o porte de arma cumpra o disposto no art. 37 do Decreto de nº. 5.123/04, que regulamenta o Estatuto do Desarmamento, e submeta-se a cada três anos aos testes de avaliação de aptidão psicológica, mantendo regularizado seu porte, como o fez o Comissário”, afirmou Jesualdo Campos, coordenador jurídico do Sinpol.
Como era de se esperar de quem tem algo a temer, o vídeo foi apagado do celular do filho do comissário. Foi lavrado um B.O por lesão corporal contra o tenente da operação e foi providenciada sua ida à UPA para tratar das marcas e escoriações das agressões, assim como para o IML para realizar o exame traumatológico das lesões, o que melhor fundamentará a denúncia que será apresentada à Corregedoria sobre a desastrosa operação.

Discussão11 Comentários

  1. teoteogood@hotmail.com

    Os acontecimentos apresentados acima são lamentáveis, pois todos nós devemos ter moderação, devemos
    ser moderados, sobretudo no trato com os demais colegas policiais. Contudo, acreditamos, que as instituições
    tomarão as providências do que efetivamente ocorreu. Só espero que o trabalho de abordagem da PMPE não
    seja prejudicado, é essa forma de policiamento que precisamos, a presença da polícia abordando, desarmando,
    apreendendo droga, enfim, deve ser uma constante em todo o Estado. Por outro lado, quando existir policiais
    civis, militares, federais, entre outros, não custa nada darmos uma atenção especial, pois se trata de colegas que
    devem ser considerados e/ou orientados, apoiados e, se for o caso, a deixar o local devido a sua própria seguran-
    ça. Continuemos abraçados à PMPE, é nossa parceira, nossa co-irmã. O nosso desejo maior é a segurança do cidadão, das famílias e do povo.
    Sérgio Teotônio é comissário de polícia em Caruaru/PE.

  2. Dimas Rodrigues Batalha

    O Comissário estava devidamente munido das exigências da lei e foi tratado dessa forma, imaginem se não estivesse e segundo consta na nossa carteira funcional um item que amparado por lei diz devendo as autoridades e seus agentes prestar- lhe todo apoio e auxílio necessários. Mostraram um verdadeiro despreparo e arrogância que é muito peculiar nas investidas dos PMS a policiais civis, não sei porque. Com a palavra o comandante.

  3. e´facil resolver este problema, vamos fazer rondas relampagos com um delagado rochedo que não seja pelego e vamos encontra pms sem HN, REGISTRO DE ARMAS E CONDUZINDO A PISTILOA ,P. 40 E PROIBIDA FORA DE SERVIÇO, PRINCIPALMENTE OS TENENTEZINZOS METIDOS A AUTORIDADE POLICIAL. (CASO SÃO PAULO).

    • Grande opinião amigo , sou Pm encontro vários pcs ou afim, em situações no mínimo delicada, apoio, oriento, informo, libero nao generalizo.enclusive, ja levei na casa dele um que foi do bpchoque, mora em rio doce, e alcoólatra . E os pseudô amigos beberam e o deixaram no chão armado, caído. Mas acima de tudo somos todos do mesmo barco. Um abc juntos somos forte .

      • E hj 24-11-15 a pc prendeu um sgt com uma arma de uso restrito e o mesmo foi encaminhado ao creed, mesmo so encontrando a arma irregular aprendeu o veiculo e uma quantia em dinheiro e ainda divulgou na mídia . Entao amigo toda enfermeira e mulher, mas toda mulher nao e enfermeira . Tambem amigo ja sofri injustiça na condução de meliantes onde o delegado nao quis receber e ainda quis me indiciar . E por fim vale salientar que esse delegado foi Pm como eu. Um abc juntos somos forte .

  4. Ontem, 23/10/2015 tomei conhecimento que em São Paulo-SP. existe um movimento do crime organizado, PCC. e seus asseclas na política em Brasília- DF para desestabilizar a segurança pública nos Estados que buscam jogar as corporações umas contra as outras para intensificar o clima do medo entre a população, enquanto não se define a crise política, que só agrava a crise econômica eles vão tentando desviar a atenção da população com fatos grosseiros que põe em risco a segurança do cidadão e afeta a paz das famílias.

  5. O melhor caminho é o diálogo, as vezes as coisas acontecem justamente pela falta de diálogo, devemos estar dispostos a oferecer essa possibilidade sacaso e, caso isso não seja possível, devemos analisar as condições do momento é refletir sobre a melhor maneira de agirmos, sempre zelando pela legalidade da nossa ação ou reação, e mais, devemos ter a capacidade de aceitar quando estivermos errados e baixar a cabeça, o que geralmente quem esta errado não quer fazer, daí o início do problema. Filme repetido q ja assisti inúmeras vezes nos meus 30 anos de PCPE.

Deixe seu comentário