19/04/2016 11h29 – Atualizado em 19/04/2016 16h12

Policiais se reúnem com governo após protesto contra punições

Categoria questionou punições da Corregedoria a policiais sindicalistas.
Governo nega a perseguição e garante direito de defesa aos servidores.

Do G1PE

Protesto do Sinpol no Centro do Recife (Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press)Protesto do Sinpol fechou uma das pistas da Conde da Boa Vista, no Centro do Recife
(Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press)

Policiais civis realizaram, na manhã desta terça-feira (19), uma passeata no Centro do Recife e fecharam o sentido Derby/Centro da Avenida Conde da Boa Vista. O trânsito no local foi desbloqueado no final da manhã. De acordo com o Sindicato dos Policias Civis (Sinpol), o governo abriu processos administrativos contra sete diretores e contra o presidente da entidade, Áureo Cisneiros.

No início da tarde, a categoria se reuniu no Palácio do Campo das Princesas, no bairro da Boa Vista, área central do Recife, com o secretário-executivo da Casa Civil, Marcelo Canuto.

De acordo com Cisneiros, os processos são uma represália ao sindicato, uma vez que denúncias sobre a falta de condições de trabalho dos policiais  foram divulgadas no ano passado. “Denunciamos falta de efetivo e de equipamentos. Em vez de sentar, conversar e resolver essas questões, o governo fica tentando amordaçar o movimento sindical”, declarou o presidente do Sinpol.

Em nota, a Secretaria da Casa Civil informou que a comissão, formada por policiais civis, ficou de entregar a Canuto um documento no qual relatam discordâncias em relação aos processos administrativos instaurados pela Corregedoria da Secretaria de Defesa Social e que “todas as alegações feitas pelo sindicato serão remetidas à SDS, para o devido esclarecimento”.

O Sinpol informou também que, durante a reunião com o secretário-executivo Marcelo Canuto, solicitou a exoneração do corregedor-geral da Polícia Civil, Servilho Paiva. De acordo com a categoria, a função da Corregedoria é de punir policiais corruptos, não dirigentes de movimentos sindicais.

Os sindicalistas informaram, durante a concentração do movimento, na Praça Oswaldo Cruz, no início da manhã, que pretendiam entregar uma carta aos representantes do Executivo estadual  para pedir a abertura de diálogo.

Resposta
A Secretaria de Defesa Social (SDS )  esclareceu, por  meio de nota oficial, que não há qualquer motivação política nos processos em andamento na Corregedoria-Geral e que os sindicalistas terão amplo direito a defesa no decorrer dos processos, movidos por questões disciplinares.

A SDS lembra, ainda, que o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, figura como imputado em seis Processos Administrativos Disciplinares pela Corregedoria Geral e um Inquérito Administrativo Disciplinar pela Secretaria Executiva de Pessoal e Relações Institucionais, da Secretaria de Administração.

De acordo com a SDS, o policial foi contratado pelo governo do estado em 2003, como agente de polícia, e em 2006 pelo Governo da Paraíba para a função de agente de segurança. De acordo com a secretaria, a acumulação dos dois cargos era ilícita e o policial se afastou do cargo público na Paraíba em 2011.

http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2016/04/policiais-civis-realizam-passeata-no-centro-do-recife.html

Deixe seu comentário