A atual gestão do SINPOL, mais uma vez, demonstrou respeito e idoneidade com o patrimônio do Policial Civil de Pernambuco. Na noite desta quinta-feira, 1º de março, os diretores apresentaram, em Assembleia Geral Ordinária, a prestação de conta das atividades financeiras do sindicato no exercício de 2017, aprovada por unanimidade pelos que compareceram ao auditório do SINPOL. Os números foram apresentados detalhadamente pelo Diretor Financeiro, Thiago Batista, que explicou cada despesa.

Todos os presentes receberam cópias do balancete com os gastos do SINPOL durante o ano de 2017, detalhados mês a mês. Tiago Batista destacou que a atual direção segue corrigindo falhas de mais de 20 anos de má gestão do sindicato, cortando gastos desnecessários e investindo o dinheiro da entidade sindical no auxílio ao filiado e na luta política em prol de melhorias.

Um dos maiores custos do sindicato foi com pagamento de depósitos judiciais oriundos de ações trabalhistas movidas contra gestões anteriores, totalizando R$ 457 mil. Além disso, há ainda o custo com a regularização do INSS dos funcionários do sindicato, que estava em atraso quando a atual diretoria assumiu que, em negociação, conseguiu reduzir a dívida que era de R$ 430 mil para R$ 236 mil, parcelado em suaves parcelas por 10 anos. A medida regulariza a situação do SINPOL com o INSS.

“É importante destacar que a má gestão que estava a frente do sindicato deixou que as dívidas virassem uma bola de neve contra o patrimônio do Policial Civil. O passado está interferindo diretamente nas contas atuais. Mas nós estamos arrumando a casa para que em 2019 possamos chegar forte para representar a categoria em uma nova campanha salarial e maior valorização da categoria”, destacou o Diretor Financeiro.

O Presidente do SINPOL, Áureo Cisneiros, reforçou que a meta agora é se fortalecer para a nova campanha salarial de 2019. “Com toda essa dívida atrasada que nós herdamos, quase R$ 5 milhões de rombo, inclusive nossa sede que estava para ser penhorada pela Prefeitura do Recife graças a uma dívida de R$ 430 mil de IPTU, nós conseguimos nos reerguer e seguimos na luta pelos direitos do Policial Civil”, disse Cisneiros.

O aposentado da PCPE Samuel Ibernom, beneficiado em ação movida pelo departamento jurídico do sindicato, elogiou a transparência da atual gestão. “Áureo está lutando com muito sacrifício, como foi apresentado, para vencer barreiras dentro da nossa categoria. Podemos ver nitidamente a diferença do SINPOL de hoje, honesto, para o SINPOL de outrora”, destacou o aposentado.

Já para Sr. Dias, também aposentado da Polícia Civil, é importante que os companheiros participem das assembleias para tomar conhecimento do que acontece dentro da categoria. “Acompanho o SINPOL há muitos anos e gestão melhor do que a de Áureo Cisneiros até agora eu não vi”, disse Sr. Dias.

Deixe seu comentário