Com o objetivo de contribuir e estimular o enfrentamento da crise generalizada que acometeu a segurança pública do nosso estado, o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE) vem apontando há cerca de dois anos as deficiências orgânicas da política funcional implantada pela Secretaria de Defesa Social (SDS). Nesse período temos denunciado a inaceitável falta de estrutura enfrentada pelas forças de segurança do estado. Faltam coletes, armamentos, gasolina para diligências, viaturas, papeis para impressão de boletins de ocorrência e principalmente efetivo policial. O pior é que, além de nada disso ter sido resolvido, as ações  praticadas pela SDS não vem obtendo o resultado esperado, como foi a recente “dança das cadeiras” com mais de 20 delegados de polícia, pois, mudam-se as pessoas, mas, mantem-se a precária estrutura e falta de efetivo. O combate a crescente onda de violência fica ainda mais prejudicado quando o Governo deixa de publicar os dados e estatísticas da violência em 2017.

Essa falta de transparência nos preocupa muito, pois para que se possa atacar de forma efetiva e se combater esse aumento da criminalidade, precisamos trabalhar em cima de dados reais para que assim a política pública de segurança também seja real. O combate a criminalidade não é feito só com polícia, mas na questão do tocante a esta, o modelo que aí está não mais serve para a sociedade pernambucana. Essa situação nos assusta porque parece que o governo não quer atacar o problema de forma real.

A produção e a análise dessas informações ajudam a montar o mapa da criminalidade que tem oprimido a população pernambucana. Através dele, se torna possível desenvolver um planejamento estratégico que enfrente e anule a ousada escalada de crimes em nosso estado. Por isso, esperamos que esses dados e estatísticas voltem a ser publicados com a maior brevidade. Não é escondendo a verdade que enfrentaremos esse grande problema. Só no ultimo final de semana foram 53 homicídios e 41 um assaltos a ônibus. Só hoje, duas agências bancárias foram assaltadas e o clima de insegurança só aumenta. Os policiais civis querem investigar e solucionar os crimes para tirar esses criminosos que atentam contra a vida de todos nós pernambucanos. Mas, para isso precisamos de coragem, planejamento, estrutura e muita clareza para finalmente dirimirmos o contexto de guerra urbana ao qual estamos submetidos.

A DIRETORIA 

Deixe seu comentário