EM ANEXO: Cópia (que foi vazada, na íntegra) da CI do Delegado Seccional da 11ª DESEC – Goiana

O SINPOL vem denunciar e repudiar a forma eleitoreira e cruel como o governo de Pernambuco trata a segurança Pública da população do nosso Estado. A cúpula da SDS determinou que os Policiais Civis fechassem 14 (catorze) delegacias na Zona da Mata Norte deste domingo, 24/07, até a segunda-feira, 25/07, e obriga que o único servidor faça rondas sozinho numa viatura para dar a falsa sensação de segurança ao cidadão pernambucano às vésperas das eleições ao Governo do Estado. As cidades que ficarão sem policiamento são Aliança, Itambé, Nazaré da Mata, Vicência, Macaparana, Condado, Lagoa de Itaenga, Itaquitinga, Lagoa do Carro, Buenos Aires, Ferreiros, Camutanga e São Vicente Férrer, todas localizadas na Mata Norte.

Parece coincidência e trágico ao mesmo tempo, no momento em que batemos recorde de homicídios – passando de 2000 mil somente neste ano – o governo OBRIGA o policial a pôr a própria vida em risco como política eleitoreira para enganar o povo do Pernambuco. Não se faz segurança pública com irresponsabilidade e descaso com as vidas dos nossos agentes. O resultado alarmante do nível de insegurança pública já era previsível há anos, principalmente quando gestores não ouvem a sociedade civil organizada e as entidades de classes, entre elas, o SINPOL.

Além de fecharem 14 delegacias de polícia, deixando aproximadamente 400 mil pessoas sem uma unidade para registrar BO’s e atender diretamente a população, a SDS determinou que os agentes solicitem e fechem bares, lanchonetes e restaurantes que não tiverem alvarás das prefeituras e corpo de bombeiros – o que a princípio poderia ser exigido em qualquer momento. Mas, exigir tais licenças sob pena de fecharem comércios para acabarem com “focos” de homicídios, caracteriza uma desastrosa e espantosa falta de gestão, além de constrangimento contra centenas de empresários, podendo ocorrer milhares de desempregos diretos e indiretos, afetando a economia dessas cidades.

Para a direção do SINPOL, faltando dois meses para as eleições, ao avaliar ações como essa do governo do Estado, não se pode imaginar outra coisa, senão, a intenção eleitoreira de dar falsa sensação de segurança ao pôr um único servidor para fazer rondas sozinho. Essas 14 cidades ficarão sem um único policial para atender casos como as violências domésticas, estupros, homicídios, roubos, furtos, etc., no final, esse fechamento de unidades policiais terá o efeito inverso: um aumento na insegurança do cidadão Pernambuco. Além disso, a direção do SINPOL vai conversar com cada prefeito e vereador dessas cidades. Milhares de empregos estão ameaçados, colocando em risco a sobrevivência desses municípios. É um verdadeiro ataque à livre iniciativa desses comerciantes, um princípio que está em nossa Constituição Federal.

SINPOL – PE (Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco)

Deixe seu comentário