A passeata iniciou com um minuto de silêncio em homenagem aos Policiais Civis vítimas da Covid-19. Por volta das 17h seguiu em direção ao Palácio do Campo das Princesas. Chegando no Palácio, foi montada uma comissão de negociação, composta por Rafael Cavalcanti (Presidente), Marsal Sobreira (Vice-presidente), Silvio Augusto (Diretor de Planejamento) e pelo Policial de base, Dan Tarsis. A comissão foi recebida, protocolarmente, na noite desta quinta-feira (19), pelo representante do Governo, o Sr. Adilson Gomes Filho, no Palácio do Campo das Princesas, onde foi entregue um documento reiterando a pauta da categoria, que o Governo já tem em mãos há bastante tempo. No documento, o sindicato pede o fim da clandestinidade funcional para que a base possa atender mais e melhor a população, além da diminuição do abismo salarial existente entre a base (agentes, comissários e escrivães e correlatos) e os delegados de polícia, além das reivindicações estruturais.

A categoria também entregou formalmente as cotas do PJES (Programa de Jornada Extra de Segurança), que é a jornada extra do Policial Civil, mas que não é pago como hora-extra. Isso significa, na prática, que a Polícia Civil, a partir de outubro, terá uma baixa em 50% de seu efetivo. O PJES são responsáveis pela abertura dos plantões em todo o Estado de Pernambuco. Em seguida, ainda à noite, a categoria realizou uma assembléia com a presença de mais de 2 mil Policias Civis, na frente do Palácio, onde decidiram, diante da inexistência de construção de algo concreto sobre a pauta da categoria, dar um passo à mais nas mobilizações, deflagrando assim, o “Setembro de Lockdown da Polícia Civil”, onde serão realizadas paralisações durante o mês de setembro. Essas paralisações serão anunciadas em breve pela categoria.

O ato contou com uma adesão massiva da categoria, tendo Policiais Civis do Sertão ao litoral do nosso estado. Ao som de gritos de guerra como ” Se não valorizar, a polícia vai parar”, demos o nosso recado juntamente com a entrega dos PJES. Seguiremos em luta e não recuaremos um só passo atrás. A hora é agora!

Deixe seu comentário