Nossa Campanha Salarial começa em:

Dias

Horas

Min

Seg

O SINPOL-PE encaminhou, no dia 16 deste mês, ofício à Chefia de Polícia Civil de Pernambuco solicitando o reforço imediato das equipes do Plantão da Mulher. A ação é um desdobramento de uma apuração feita pelo sindicato sobre o problema da sobrecarga de trabalho para os/as policiais plantonistas da Delegacia da Mulher, localizada no bairro de Santo Amaro, área central do Recife.

De acordo com o ofício, a falta de efetivo tem provocado sobrecarga desumana de serviços aos policiais, fazendo com que todo o atendimento seja comprometido.

As equipes, que já estão bastante reduzidas, ainda estão precisando aguardar todo o procedimento de audiência de custódia das ocorrências da DPMUL no DENARC, onde elas ocorrem, deixando a delegacia completamente desguarnecida e sem policiais para realizar os serviços.

O SINPOL-PE alerta ainda que o atendimento especializado da Delegacia da Mulher, que já tem uma demanda gigante de ocorrências, também está atendendo situações com menores vítimas e como s não há plantão para esta especialidade, as crianças que já chegam debilitadas física e psicologicamente nas delegacias, acabam sendo expostas a imagens chocantes de pessoas algemadas e lesionadas, não tendo o amparo necessário, além do efetivo de policiais sobrecarregado.

Por fim, o ofício pede a urgência do reestabelecimento das equipes de policiais lotados para os Plantões da Delegacia da Mulher e que se seja reaberto o Plantão da Delegacia do Menor Vítima. Outra sugestão, detalha no ofício é a possiblidade das cotas de PJES, para que haja efetivo profissional a disposição para o atendimento.

“Estamos cobrando medidas efetivas para desafogar os trabalhos da Delegacia de Plantão de Mulher de Santo Amaro e dar condições mínimas de estrutura aos policiais plantonistas para que possam exercer sua função de um modo satisfatório e atender com o cuidado necessário que às vítimas de violência doméstica precisam. E isto deve ser garantido pelo Estado”, pontuou o presidente do SINPOL-PE, Rafael Cavalcanti.

Deixe seu comentário